Quarta-feira, 23 de Janeiro de 2008
Há, em toda a magnificência que constitui actualmente o youtube, apenas três golos do Purovic


E um é ao Fátima. De resto, três descobertas mais a comunicar, e logo três cujo nível de frescura é, até certo ponto, majestoso; uma vez que foram efectivadas hoje, ou ontem, à tarde. Primeiro, e embora eu tenha uma clara psicossociopatia que m’impede d’apresentar desculpas sinceras, tenho que apresentar um sincero pedido de desculpas a todas aquelas pessoas a quem recomendei paio como a melhor coisa para pôr no pão. Afinal não é paio. É, isso sim, presunto rolado fatiado. Sempre pensei que aquilo que há mais de cem lanches meto no pão era paio, mas não é. Sendo assim, onde se me ouviu dizer “olha, mesmo, mesmo bom para meter no pão, sabes o que é? Paio!”, ouça-se “olha, mesmo, mesmo bom para meter no pão, sabes o que é? Presunto rolado fatiado!”. Ganha-se em factualidade o que se perde em musicalidade argumentativa. De notar ainda que, face a este desenrolar situacional, não faço ideia, então, que caralho é paio. Segundo, descobri que ter o bilhete de identidade caducado há meses [assuma-se simplesmente que é plural e fiquemos por aqui] e só descobrir que o está [caducado há meses] porque se foi aos correios levantar uma daquelas coisas que é preciso levar um bilhete de identidade actualizado [é esta a palavra? é o oposto de caducado que quero usar, julgo estar perceptível], é, palavras do senhor funcionário dos correios [aparentemente, formado com louvor em responsabilidade civil e rigor cívico] uma irresponsabilidade tamanha. Não sabia, fiquei a saber. Eu até tenho dois bilhetes de identidades [sim, nunca escrevo, nem digo, B.I. – há mais de sete anos que não pronuncio uma única sigla; detesto-as, e, ainda que demore mais tempo, a mim ninguém m’ouve, por exemplo, dizer P.S.P. em vez de Polícia de Segurança Pública], se bem que estejam ambos caducados. É fácil conseguir um segundo bilhete de identidade. Basta ficar convencido que se perdeu o bilhete de identidade e, se não tiver problemas em admitir que é um adulto que perde coisas [eu não tenho, e quem tiver que diga que foi assaltado ou uma dessas coisas que as pessoas que não sabem karaté costumam ser], ir pedir outro lá no sítio de fazer bilhetes de identidade. Uma vez feito o bilhete de identidade que vem substituir aquele que, pensa-se, se perdeu por aí, basta encontrar o bilhete de identidade, o tal que julgava perdido, numa gaveta ou no bolso dumas calças que não vestia há muito tempo. A verdade é que tinha os dois bilhetes de identidade no bolso, tendo optado por mostrar o mais recente, e, ao fim e ao cabo, acabei por nem mostrar o mais antigo [desejo de usar o argumento “então e dois bilhetes de identidade caducados não fazem as vezes dum bilhete de identidade em dia?” não me faltou] porque a vontade que tenho em ouvir duas lições de moral dum empregado dos correios é, em rigor, nula. Finalmente, e como terceira descoberta, surge o facto de, se se estiver parado junto a um dos lados duma passadeira, os carros param para, suponho eu, nos deixarem atravessar a estrada. Estive, hoje ou ontem, quinze minutos à espera num sítio que, mera coincidência, ser a zona do passeio que dá acesso directo e recto a uma passadeira. Acabaram por Parar, que eu bem contei, mais de trinta carros para me deixar passar. Uma esmagadora percentagem até fez aquele gesto do “vá, passe lá”. Mas eu não queria passar, estava só à espera. Desses mais de trinta, três indivíduos fizeram-me um pirete. A maior parte abanou só a cabeça. A estes, os que só abanaram a cabeça, fiz eu um pirete. Sou apologista de haver sempre um pirete em qualquer interacção social. Mais que um, bem, isso já pode passar por exagero. Mas um, um é elementar.




Comentários:
De pimpampum a 23 de Janeiro de 2008 às 22:24
Então foi o Exmo. Sr. . o gajo do passeio, que era junto da passadeira? Faltou alguém na estatística ! Eu, que utilizei mesmo o estafado gesto do VTC (Vai Tomar no Cú). Ficar bem.
PimPamPum


De pedro a 24 de Janeiro de 2008 às 15:34
Não conheço o gesto do VTC e desconfio que não existe numa forma gestual.


De Moyle a 24 de Janeiro de 2008 às 00:50
«De notar ainda que, face a este desenrolar situacional, não faço ideia, então, que caralho é paio.»

- O paio é um enchido tradicional de Portugal. O seu ingrediente principal é o lombo de porco, o que o torna um dos enchidos mais populares. Como condimentos, inclui a massa de pimentão, o alho e o sal. É defumado e o seu calibre é normalmente elevado, ainda que possa haver paios de diversos diâmetros. Possui uma consistência firme e dura, assim como uma cor brilhante. Pode ser consumido em rodelas, com pão.

[genial, mesmo genial, era a frase citada do texto ser apenas uma ironia, ou qualquer outra figura de estilo, estante no texto "just for argument sake"]


De ZOT a 24 de Janeiro de 2008 às 08:23
Paio Paio, era o Purovic marcar mais golos!...

Se ha coisa que me irrita, é o tamanho do bilhete de identidade. Sera que ainda ninguém viu que todos os documentos deveriam ser do tamanho dum cartão de crédito?! Senão querem gastar dinheiro em milhões de novos bilhetes de identidade, pelo menos que estes fossem plastificados com um picotado, de maneira a ser possivel dobra-los ao meio. Até parece que somos todos mangas de alpaca, que andamos de fato, com bolso para carteiras jumbo. E no Verão nem se fala...


De alice campos a 24 de Janeiro de 2008 às 10:40
purovic, paio, presunto, polícia e pirite. escrever um texto assaz genial em que, regra essencial, estes 5 vocábulos (note-se a utilização do termo "vocábulos" em substituição do termo "palavras") aparentemente desfamiliarizados entre si, à excepção do paio que é um parente próximo do presunto (parente e próximo não são vocábulos a considerar para o efeito), terão de ser empregues com o máximo rigor, podendo o seu autor disfarçar tão notável argumento com uma situação pessoal inventada no momento, que pode ir da vulgar travessia de uma estrada à embaraçosa caducidade do seu bilhete de identidade. o vencedor deste desafio inédito ganha nada mais nada menos do que a completa devoção dos seus leitores, sobretudo de uma que sou eu e que desde já agradeço a vossa generosa paciência em me aturar nestes devaneios. com vossa licença, retiro-me com profunda estima.


De Tomás Fartaria a 24 de Janeiro de 2008 às 10:51
Epá sim senhor q escreves bem e tal mas houve uma falha neste texto que não podia deixar passar que é a seguinte: pirite. Não quererás tu querer dizer pirete? Ninguém no seu perfeito juízo ou até embriagado diz pirite. Se fores ao dicionário ver o que quer dizer pirite tá lá:Pirite-do Lat. pyrites ou pyrítes < Gr. pyr, pyrós, fogo

s. f.,
sulfureto metálico, que se encontra no estado natural.

Eu não percebo muito de sulfuretos e metálicos ainda menos mas acho que tenho quase a certeza de que não é um gesto que se pode fazer com as mãos. Isto na minha ideia. Boa tarde e obrigado


De Marco Lopes a 24 de Janeiro de 2008 às 12:07
Aquele que nunca fez um sulfureto metálico, que se encontra no estado natural com as mãos que atire a primeira pirite!


De pedro a 24 de Janeiro de 2008 às 13:50
Tomás, sim.

Tem razão, como é óbvio, embora se dispensasse o facto de agora ter enchido a minha cabeça com informações sobre sulfureto metálico. Um simples "escreve-se pirete", seguido duma pequena ofensa pessoal, chegava perfeitamente.

Cumprimentos.


De ZOT a 24 de Janeiro de 2008 às 15:11
e Manguito?


De pedro a 24 de Janeiro de 2008 às 15:33
Eu digo pirete, até porque foram piretes. Manguito, além de ser [junto com "toma"] a forma lisboeta de disfarçar a míngua de vocabulário técnico nestas questões, é aquela coisa com os braços.

Pirete é só com a mão e dedos, mesmo. Muito mais seguro para quem vai ao volante. Que era o caso.


De alice campos a 24 de Janeiro de 2008 às 17:32
:(

o que raio é pirete?


De Madalena a 24 de Janeiro de 2008 às 19:05
Alarvidade linguística da província


De pedro a 24 de Janeiro de 2008 às 19:15
Sim, que dizer "um toma" é tão urbano e sofisticado.


De paula a 8 de Fevereiro de 2008 às 11:20
Ò Madalena tu precisavas passar uns diazitos na provincia e aí sim logo vias o que é ''alarvidade provinciana'', sua troglodita urbana, e fica sabendo que acabas-te de levar um pirete psicológico......


De BRUNO a 21 de Fevereiro de 2008 às 12:16
Já tinha ouvido falar em minete, ou mesmo em pivete. Pirete desconheço.


De RG a 24 de Janeiro de 2008 às 18:02
As pessoas que ficam paradas nas passadeiras sem quererem atravessar a estrada são atrasadas mentais.


De Izzy a 24 de Janeiro de 2008 às 18:09
E Purovic eh o que? Xarope?


De Tomás Fartaria a 24 de Janeiro de 2008 às 21:52
Tava no gozo. pra próxima vou ver se me lembro disso das ofenças pessoais. Continua com o bom trabalho meu. ès grande.


De dalila a 29 de Janeiro de 2008 às 16:41
Há uns tempos tambem pensei que tinha perdido o meu bilhete de identidade (sim, eu tambem n gosto muito dessas siglas, principalmente FDS que muita gente usa como sigla de fim-de-semana, mas que eu na maior parte das vezes, arrisco mesmo dizer 99% das vezes, interpreto como uma abreviatura de "foda-se". E é deveras estranho estar no messenger e alguem te dizer assim "no fds vou a casa da minha tia jardelina" e eu interpretar como "no foda-se vou a casa da minha tia jardelina". Como se não chegasse o facto de a tia ter um nome que consegue ser pior do que o meu.
Bem, voltando ao caso do meu bilhete de identidade perdido, fui lá ao sítio onde se tiram bilhetes de identidade e disse que queria tirar um porque tinha perdido o meu. E pronto, foi aí que se deu a situação. A senhora que estava lá a atender, as pessoas, e, que na minha não modesta opinião devia ser simpática para essas mesmas pessoas, pese o facto de que um bilhete de identidade é caro (não sei quanto é ao certo, mas de certeza que dava para muitas fatias de paio). Mas não foi. Aquela grandessíssima facínora deu-me uma descasca porque disse que eu já era crescida e devia ter mais cuidado porque é um documento importante e por aí fora, até que eu na minha imaginação extremamente activa carreguei naquele botão que diz MUTE, como costumo fazer quando tá a dar o porto na tvi e pronto, só voltei a ouvir quando saí lá do sítio onde se tiram bilhetes de identidade e coisos assim.

Algumas semanas mais tarde, vim a descobrir por um mero acaso que ocorreu devido ao facto de ter deixado cair alguma coisa debaixo da cama que o meu bilhete de identidade, aquele que eu disse à parva da mulher que tinha perdido, estava lá!


De João a 30 de Janeiro de 2008 às 17:29
Dalila é um nome bonito, até parece de uma flor. Bom fds!


De António Machado a 21 de Fevereiro de 2008 às 13:50
E a mulher do coiso dos B.Is é que é parva? vai lá!.. vai!.. até a barraca já está a cair!..




De Orlando Moreno Oliveira a 2 de Junho de 2008 às 14:41
O que é URL ?


De geaninni a 6 de Maio de 2009 às 21:56
Tenho pena que tenhas accionado o "mute" para não ouvires a pessoa dos BI's, mas fazer o mesmo quando está a dar o Porto, desculpa, mas a comparação não podia ser mais infeliz. Um jogo do Porto, é espectáculo garantido. Tenho mesmo pena que aquilo que andas a ver não te tem feito bem à vista, mas, nunca é tarde para mudar.


Comentar post

arquivos e isso
coisas menos coiso
digam que vão de minha parte
 Para deixar recado e assim
  • olhequenao@hotmail.com